Produção mundial de vinho cai 3,2% em 2016

Países latino-americanos, que sofreram o fenômeno climático El Niño, figuram entre os mais afetados, particularmente o Brasil, que registrou uma queda de 55%, e a Argentina, que produziu 3,9 milhões de hectolitros a menos que em 2015.
A produção mundial de vinho caiu 3,2% em 2016, a 267 milhões de hectolitros (Mhl), contra 276 Mhl em 2015, anunciou na terça-feira (11) em Paris a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV).
Os países latino-americanos, que sofreram o fenômeno climático El Niño, figuram entre os mais afetados, particularmente o Brasil, que registrou uma queda de 55%, e a Argentina, que produziu 3,9 milhões de hectolitros a menos que em 2015.
“Estamos em uma média baixa devido a fenômenos climáticos que afetaram várias regiões do mundo”, comentou em uma coletiva de imprensa Jean-Marie Aurand, diretor-geral da OIV.
Em volume, os maiores retrocessos foram registrados em França (-3,5 Mhl), segundo produtor mundial, e Argentina (-3,9 Mhl), nono, segundo a OIV.
Em porcentagem, o retrocesso mais importante foi registrado no Brasil (-55%), 20º produtor mundial.
O aumento da umidade devido ao fenômeno climático El Niño afetou a produção na América Latina, indicou Aurand.
Por sua vez, a África do Sul sofreu com os “efeitos da seca”, produzindo 6% a menos de vinho em 2016. Mundialmente, a superfície vitivinícola se estabilizou em 7,5 milhões de hectares.
Cinco países representam mais de 50% da superfície dedicada aos vinhos: Espanha, China, França, Itália e Turquia. (G1)

Mais notícias