Papa lamenta sangue derramado no mundo hoje

O percurso noturno ao redor do Coliseu foi feito neste ano em um clima particular, marcado pelas fortes medidas de segurança
O papa Francisco presidiu nessa sexta-feira (14), em uma Roma blindada, sua quinta Via-Crúcis como pontífice, ao redor do Coliseu, ao fim da qual rezou pelo “sangue derramado pelos inocentes” por conta das guerras e injustiças.
Ao final do percurso com o qual se rememora o calvário de Cristo até sua crucificação, o papa pronunciou mais de sete vezes a palavra “vergonha” para enumerar os pecados, omissões, injustiças, escândalos e horrores que atingem o mundo e a Igreja.
“Vergonha pelo sangue de inocentes que cotidianamente é derramado de mulheres, crianças, imigrantes, pessoas perseguidas pela cor da pele ou por seu pertencimento étnico, social, ou por sua fé”, disse o papa com voz firme e, às vezes, comovida.
Dirigindo-se ao Cristo crucificado, o papa argentino reconheceu sua “vergonha por todas as imagens de devastação, destruição e naufrágio, que se tornaram comuns para nós”, acrescentou.
O papa Francisco reconheceu também sua “vergonha por todas as vezes que bispos, sacerdotes, consagrados e consagradas feriram seu corpo, a Igreja”, em alusão aos abusos cometidos por padres pedófilos.
O pontífice pediu por “irmãos atingidos pela violência, pela indiferença e pela guerra” e pediu que “rompam as cadeias que nos fazem prisioneiros de nosso egoísmo, de nossa cegueira involuntária, e da vaidade de nossos cálculos mundanos”.
O percurso noturno ao redor do Coliseu foi feito neste ano em um clima particular, marcado pelas fortes medidas de segurança desde os atentados de domingo passado no Egito contra duas igrejas, que mataram 45 mortos. (O Tempo)

Mais notícias