Matriz de Nossa Senhora da Conceição tem altar-mor recuperado

Duas fênix cobertas por folhas de ouro, atlantis segurando as colunas torsas, típicas do barroco; dois anjos trombeteiros, dois segurando uma palma, muito ouro, prata e imitação de mármore; um trono altíssimo, de 7 andares e, por cima, um forro com anjos, nuvens e raios. Considerado a peça mais importante de uma igreja, o altar-mor da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, é uma das últimas estruturas da construção histórica a ser totalmente recuperada. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1948, a igreja tem mais de 300 anos e está passando por um minucioso processo de restauração, que deve ser finalizado em dezembro de 2018.

“A gente ficou um pouco surpreso com o altar-mor porque ele tinha partes muito intactas, com muito dourado e prateado, mas outras muito perdidas. Em alguns pedaços não tinha nada do original. Mas sempre tem uma referência porque mesmo que raspem, alguns lugares acabam ficando com a pintura. Algumas coisas foram refeitas a partir dessas referências. Além disso, o trono dele é imenso e foi completamente repintado”, conta Dulce Senra, da Cantaria Conservação e Restauro, empresa responsável pelos trabalhos.

Próximas etapas

Com o altar pronto, a equipe parte agora para a última fase: a recuperação da nave. “O que falta agora é um retábulo colateral (um deles já está pronto), a cimalha da nave e o couro, que é o envelopamento das pilastras”, enumera Dulce. Ela conta que as pilastras são envolvidas com tábuas que estão sendo removidas para se descobrir o que ainda existe de original. “Nós estamos descobrindo tons beges e marrons em algumas, mas outras foram trocadas e perdidas”, completa. Já as cimalhas haviam sido repintadas e muitas não têm nada do original. Nesse caso, será feita uma apresentação estética, ou seja, uma leitura a partir de referências encontradas em outras peças do patrimônio.

A reinauguração da Matriz está prevista para o dia 8 de dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição. Interditada há mais de 10 anos por apresentar problemas estruturais e nos elementos artísticos, a igreja também passa por uma reforma arquitetônica. Além do altar-mor, já foram restaurados o relógio e todos os elementos da sacristia. Entre eles, a capela mor foi a que mais chamou atenção: escondidas sob diversas camadas de tinta, 10 pinturas com cenas bíblicas que contam a história de Jesus e Nossa Senhora foram encontradas.

Importância histórica

Construída no início do século XVIII, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição não apenas marca a ocupação da região, como conta a história da cidade, desde a época da mineração. Características como a presença de ouro e prata nos elementos artísticos, pintura e arquitetura tipicamente barrocas, muito requintadas e eruditas, além de um altar menor, separado para os escravos revelam traços dessa trajetória.

“Acho que esse trabalho de restauração de igreja é fundamental para toda a cidade porque ela sempre fez parte da vida das pessoas em coroações e festas. Até o relógio, que a gente consertou, fazia falta. É um deleite o que a gente está encontrando porque é uma igreja maravilhosa, que quase se perdeu. Sua verdadeira beleza estava escondida por ter sido tão repintada”, afirma Dulce. (De Fato/Itabira)