Ex-vereador de Peçanha que matou ex-namorada e o pai dela é condenado a 48 anos de prisão

O ex-vereador de Peçanha (MG) Sincero Ramos de Moraes (PTC), 41 de anos, foi condenado a 48 anos e seis meses de prisão, inicialmente em regime fechado, pelo assassinato da namorada Aline Aparecida de Souza, 33, e do pai dela Afonso Vilela de Souza, 62. Além disso, o acusado terá de arcar com as custas processuais,

A sessão de julgamento no Fórum de Governador Valadares começou na quinta-feira (11/11), às 10h30, e só terminou às 3h45 da madrugada de sexta-feira (12). Foram ouvidas quatro testemunhas de acusação, sendo uma delas, a mãe e esposa das vítimas, por vídeo conferência. Quatro testemunhas de defesa arroladas também foram ouvidas.

Familiares e amigos das vítimas fizeram uma manifestação na porta do Fórum. Com camisas, faixas e cartazes eles pediam justiça e fizeram vigília do lado de fora do Fórum. Anderson Monteiro de Souza, irmão de Aline e filho de Afonso, mora em São Paulo e falava com a mãe ao telefone na hora do crime.

Ele ouviu tudo que se passou pouco antes dos crimes e estava presente no julgamento. “A gente espera justiça. Claro que isso não vai trazer meu pai e minha irmã de volta, mas uma pessoa como essa não pode ficar impune”, desabafa.

Os advogados da família, Jayson Keyby Castro e Dêner Maia, que aturam como assistentes da acusação – função na qual auxilia o promotor de Justiça -, consideraram que “apesar de não haver nada o que comemorar, porque a tragédia humana foi maior do que a vitória em plenário, a Justiça foi feita”.

“A sentença de condenação é uma satisfação à família. É um recado claro da sociedade contra a violência de gênero e todas as formas de violência doméstica. Os jurados entenderam claramente que era um caso de condenação, baseado em muitas provas. O Poder Judiciário atribuiu uma pena proporcional, justa, e ficará registrado para que encoraje outras pessoas a denunciarem casos de violência contra as mulheres”, frisou  Jayson Keyby.

“A despeito da atuação muito combativa dos advogados de defesa, entenderam os jurados, acertadamente, que a versão de legítima defesa não encontrava lastro nas provas constantes nos autos. Essa foi a tônica da nossa atuação como advogados assistentes da acusação: fidelidade às provas para rebater a versão do réu”, destacou Dêner.

O duplo homicídio aconteceu no dia 6 de maio de 2018. Após o crime, o então parlamentar da cidade de Peçanha fugiu para José Raydan (MG), depois Sete Lagoas (MG) e em seguida se refugiou em um sítio no município de Itaipava, região serrana do Rio de Janeiro, onde foi preso três meses depois.

Uma equipe de 15 policiais civis de Minas e do Rio foi destacada para cumprir o mandado de prisão preventiva. Sincero tentou fugir, mas foi detido algemado. Ele foi transferido para a cadeia de Peçanha, onde aguardou o julgamento.

O inquérito policial indicou que o crime foi passional. Sincero Ramos não aceitava o fim do relacionamento e queria a guarda da filha do casal.

Sincero Ramos, de acordo com a investigação, pretendia pagar cerca de R$ 70 mil para entrar nos Estados Unidos pelo México. Ele foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e feminicídio.

O crime

O crime aconteceu no dia 6 de maio de 2018 e revoltou a população. Duas crianças estavam na casa, localizada na Rua Professor Raul da Cunha Pereira, no Bairro Taquaral, em Peçanha, no momento dos assassinatos.

Uma equipe da Polícia Militar, acionada pelo 190, foi ao imóvel e encontrou Aline Aparecida de Souza e Afonso Vilela de Souza caídos no chão feridos a tiros. Perto deles foram recolhidos cartuchos de munição e um facão.

As mortes de pai e filha foram confirmadas ainda no local. A perícia constatou cinco perfurações no corpo de Aline e quatro em Afonso. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Governador Valadares.

A esposa de Afonso contou aos policiais que o ex-vereador, que é ex-namorado de Aline, entrou na casa dizendo que queria ver a filha dele, à época com 1 ano, e que estava sob a guarda da mãe.

No entanto, a testemunha alertou que ele não podia visitá-la naquele horário e Sincero foi embora. Mas ele voltou pouco tempo depois, entrou na casa à força e pegou a filha. Afonso tentou impedir e os dois começaram a discutir.

Em determinado momento, o avô da menina foi para um dos quartos e, ao voltar para a sala, Sincero jogou a criança no chão, sacou uma arma e atirou contra o ex-sogro.

Nesse momento, Dona Geralda, mãe de Aline, falava ao telefone com o filho Anderson Sousa, que mora em São Paulo. Geralda, assustada com a discussão, deixou o telefone fora do gancho.

Aline, quando chegou à sala, encontrou o pai baleado. O telefone continuou ligado e o irmão entrou em desespero. Na sequência, segundo testemunhas, Sincero gritou para Aline se ela queria morrer também e atirou contra a ex-namorada. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, outra criança de 10 anos tentou pegar o bebê no chão. No entanto, assustada ao ouvir um tiro, se escondeu debaixo de uma cama.

Sincero Ramos foi reeleito vereador em 2020. Devido ao ocorrido, ele teve o mandato suspenso pela Câmara Municipal de Peçanha. (Com informações do Portal Oolhar.com.br)