Ação conjunta entre PM e PCMG garante prisão de suspeitos de explosão em banco de Virginópolis

Quatro suspeitos pela explosão a uma agência bancária na cidade de Virginópolis foram presos na noite de segunda-feira, 25/03/2019. A prisão aconteceu no mesmo dia do ocorrido e ainda existe um suspeito foragido.

A Polícia Civil conseguiu coletar evidências na cena do crime e obter a localização dos suspeitos mediante a investigação das compras realizadas pelos suspeitos.

Os quatro homens foram apreendidos sem a documentação pessoal e após uma discussão entre eles acabaram confessando o crime.

A prisão aconteceu na cidade de Guanhães e os suspeitos foram encaminhados ao sistema prisional.

A explosão 
Na madrugada da última segunda-feira, alguns indivíduos invadiram a instituição bancária, por volta das 2h, e acionaram artefatos explosivos que causaram danos generalizados à agência. Sem levar nenhuma quantia em dinheiro, os suspeitos evadiram e deixaram para trás uma bolsa preta contendo, dentre outras coisas, um celular e uma máscara contra gases. Além dos materiais citados, a perícia ainda encontrou uma cápsula deflagrada, provavelmente de pistola calibre 380, e vários explosivos que estavam no interior da agência.

As investigações e prisão
De posse dos dados da investigação, as equipes da PCMG iniciaram as buscas dos suspeitos.  Já ao final da tarde de segunda-feira, foram presos os indivíduos T. M. S., de 19 anos; P. H. C. M., 22; F. M. S., 32 e C. S. S., de 45 anos, que estavam em uma casa, no bairro Alvorada em Guanhães.

Um deles também é investigado por suspeita de envolvimento em outras três ocorrências de furtos a estabelecimentos bancários no Estado, sendo um em Teófilo Otoni e outros dois nas cidades de Oliveira e Caraí. Na última, o mesmo teria feito ameaças a um jornalista da região, integrante de uma emissora de televisão de destaque nacional.

Segundo as investigações, entre os suspeitos, alguns tem passagens por formação de quadrilha e explosão de caixas eletrônicos, além de posse ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas.

Assim, os quatro investigados foram ouvidos na delegacia e negaram participação no crime. Entretanto, um celular apreendido no interior da agência continha foto do suspeito C. S. S., o qual confirmou que o celular seria de sua propriedade, mesmo negando que estaria no local. No referido aparelho ainda constavam trocas de mensagens suspeitas, inclusive com o envio de uma foto de um cartão de outra instituição bancária.

Todos foram autuados em flagrante por furto tentado qualificado e encaminhados ao Sistema Prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Participaram da ação policial:

Fábio de Sousa Henrique, Delegado;
Luís Gomes da Costa, Inspetor em exercício;
Adair Martins Corrêa Júnior, Investigador;
Marcelo Dias dos Santos, Investigador;
Clea Regina Barbosa, Investigador;
Rizo de Ávila Silva, Investigador;
Anderson do Carmo Santos, Investigador;
José Leonardo Fernandes Abi Acl, Investigador;
Marcony Magalhães Leão, Investigador;
Daniel Alves de Almeida, Investigador;
Gabriela Fernandes, Investigador;
Sidney Tênis Bento da Silva, Investigador;
Leonardo Batista Ferreira, escrivão;
Beliny Magalhães Leão, escrivão.

Mais notícias