Justiça nega pedido do Cruzeiro para impedir torcida única na Baixada

Clube entrou com ação contra projeto do MP que quer implantar a torcida única nos jogos em Curitiba. Primeiro teste será em Atlético-PR x Cruzeiro, na Copa do Brasil

O juiz Jailton Juan Carlos Tontini, da Vara da Fazenda Pública do Paraná, negou o pedido de liminar do Cruzeiro, que tentava impedir a implantação da torcida única na partida com o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, na Arena da Baixada. O projeto é do Ministério Público do Paraná (MP-PR) em conjunto com as polícias Militar e Civil. A intenção é implantar torcida única em todos os jogos de futebol realizados em Curitiba.

No despacho, o juiz não considerou ilegal a implantação do projeto de torcida única e salientou que a definição tem como principal interessado o Atlético-PR. O juiz também destacou que o Estatuto do Torcedor não prevê direito assegurado ao torcedor que entre com a camisa do time adversário, como defende o Cruzeiro.

– O que assegura a lei é que o torcedor, de qualquer das agremiações, possa ingressar no estádio e acompanhar o seu clube, acomodando-se no local indicado em seu ingresso, e isto, pelo que se infere da exordial e dos documentos que a instruem, não está sendo obstado, escreveu o juiz no despacho.

A medida proposta pelo MP-PR extingue a venda de ingressos para visitantes e também o setor destinado a eles no estádio. Em seu comunicado também ficou decidido que as únicas vestimentas relacionadas aos times permitidas serão as do Atlético-PR e sua principal torcida organizada, Os Fanáticos.

O vice-presidente jurídico do Cruzeiro, Fabiano de Oliveira Costa, lamentou a decisão da Justiça. Ele considera a adoção de torcida única nos estádios um retrocesso no futebol e lembrou que o próprio laudo da Polícia Militar afirma que não existem conflitos de torcidas na Arena da Baixada há quatro anos.

– O prejuízo para os torcedores é imenso, porque a torcida vai deixar de comparecer, vestir a sua camisa e ficar no local adequado. Chegamos a um ponto que o torcedor do Cruzeiro que for ao estádio, não vai poder nem comemorar um eventual gol sob risco de ser agredido, porque vai estar no meio da torcida do Atlético-PR. É um retrocesso e um momento lamentável para o futebol brasileiro.

O jogo entre Atlético-PR e Cruzeiro é o primeiro teste para a implantação da torcida única em todos jogos de Curitiba, como quer o MP-PR. O principal argumento da medida é combater a violência em jogos e também reduzir o uso de forças policiais. Sem torcida adversária não seria necessário escolta para torcedores de fora da cidade ou deslocamentos em massa internos.

Questionado pelo GloboEsporte.com se haverá condição de dar garantia para o torcedor do time adversário torcer pelo seu time em qualquer lugar do estádio, o promotor do Ministério Público do Paraná, Maximiliano Ribeiro Deliberador, disse que o projeto ainda está em teste e que todas as respostas devem ser encontrados durante as experiências. Segundo ele, uma das ideias é criar um “setor família” que possa abrigar torcedores dos dois times em sem conflito. Coritiba e Paraná Clube não se pronunciaram sore a decisão.