Está no Ar

PF deflagra 2ª fase da Operação Carne Fraca

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta quarta-feira quatro mandados, três de busca e apreensão e um de prisão, em Goiás

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira a 2ª fase da Operação Carne Fraca, que investiga irregularidades na fiscalização de frigoríficos.  A PF cumpriu na manhã de hoje quatro mandados em Goiás, três de busca e apreensão e um de prisão preventiva.

Francisco Carlos de Assis, ex-superintendente regional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Goiás foi preso e levado para superintendência da PF em Curitiba, no Paraná.


Francisco Carlos de Assis foi flagrado, conforme a PF, "em interceptações telefônicas destruindo provas relevantes" para a apuração da Operação Carne Fraca. A PF ainda não explicou como ocorreu a destruição das provas.

A operação de hoje foi batizada de "Antídoto" em referência à uma ação policial com o objetivo de cessar os atos criminosos do investigado e de preservar eventuais novas provas.

Réu na Justiça

O ex-superintendente preso hoje já é réu na Justiça, em ação penal relacionada à 1ª fase da operação. Segundo a PF, ele participou de um esquema de corrupção entre uma grande empresa do ramo alimentício e o ex-chefe do Serviço de Inspeção em Produtos de Origem Animal (Sipoa) de Goiás.

A partir desta nova etapa, os investigados podem responder, ainda segundo a PF, por obstrução de investigação criminal. (Portal UAI)